“Alô? Eu estou com um problema…” “Isso já estava assim!” “Preciso que vocês façam alguma coisa…”
 
Histórias Taperinha Vistoriadores 07
 
Essas são as frases mais ouvidas todos os dias por Greice, Augusto e Márcio. O trio compõe o setor de Vistoria da Imobiliária Taperinha. E se os chamados pedem por solução, eles resolvem! Afinal, o setor é responsável por resolver e prevenir eventuais problemas que podem surgir durante o período de locação, do momento da entrada até a saída do inquilino, além das frequentes tratativas com os proprietários de imóveis. As demandas são diversas.
 
Talvez também seja deles o título de equipe mais bem humorada da empresa. Em meio à correria, ao telefone que não para de tocar e aos pedidos sempre de urgência, ainda sobra leveza para executar tudo o que a rotina impõe.
 
Histórias Taperinha Vistoriadores 02– Aqui já vimos de tudo. É o cachorro que late, o vizinho que briga, os morcegos que aparecem… Às vezes, nem é conosco, mas ouvimos, tentamos explicar e solucionamos. Também confundem nossos serviços com os da AES Sul e os da Corsan. Tem dias que nos xingam. Em outros, recebemos mil elogios, mas resolvemos com jeito e eu, pelo menos, adoro trabalhar aqui – relata Greice de Vargas Peixoto, 30 anos, que atua com foco nos serviços de manutenção do setor de Vistoria.
 
Greice costuma atender na matriz da imobiliária. Ela é o principal canal entre o cliente e os mais de 30 prestadores de serviço quando uma calha entope ou uma janela quebra. Em dias de chuva, então… “tudo começa a aparecer”, segundo conta o pessoal da vistoria.
 
Os protocolos e pedidos de manutenção são feitos sempre por escrito. Vale lembrar que a Taperinha tem tradição em disponibilizar imóveis em boas condições e prestar todas as informações possíveis por meio de cartilhas, manuais e pelo site da empresa.
 
HIstórias Taperinha Vistoriadores 05Os rapazes do setor não permanecem muito tempo no mesmo lugar. Eles percorrem quilômetros de motocicleta todos os dias e realizam as vistorias.
 
Márcio Silveira Teixeira, 27 anos, é aquele que registra tudo, inspeciona cada cantinho, antes mesmo de alguém morar no imóvel. Augusto José Bock, 29 anos, foca na saída: na quitação da energia elétrica e do condomínio, na pintura e na conservação. Ele atua como pente-fino, tendo que garantir que o local está exatamente igual e com tudo em ordem no momento da desocupação.
 
– Eu sou o cara da separação, do divórcio com o imóvel – brinca Augusto.
 
Histórias Taperinha Vistoriadores 03
 

Eficiência que resulta das diferenças

 

Conheça um pouquinho do perfil da equipe de vistoria da Taperinha

 
Muito integrada, a equipe se completa dividindo funções diferentes. O mesmo vale para a personalidade de cada um. A descrição é dada por cada colega do setor.
 

Histórias Taperinha Vistoriadores 08Segundo os guris, a Greice é a versátil, que consegue fazer um pouco de tudo. Persistência também é com ela. A propósito, foi assim que conquistou a vaga na empresa. A moça já tinha até sido tirada da listagem da seleção por conta de uma falha de comunicação. Mas, insistente, não sossegou enquanto não convenceu os recrutadores a fazerem a entrevista. Resultado: entre 15 concorrentes, ela foi a selecionada. Greice também traz no currículo o curso de Técnico em Administração, além em outra grande formação: a mãe do Matheus, de 13 anos.

Histórias Taperinha Vistoriadores 09O Augusto é o inquieto, comunicativo e que sempre tem uma boa resposta pra tudo. Com ele, que veio lá da Quarta Colônia – natural do município de Faxinal do Soturno – não tem tempo ruim. Já fez de tudo. Ainda adolescente, ajudava o pai que era pedreiro. Quando veio para Santa Maria, trabalhou em vários setores do comércio e atualmente cursa a faculdade de Administração. Seu último investimento foi com o curso de corretor de imóveis.

Histórias Taperinha Vistoriadores 06Márcio é referido como o mais calmo, concentrado e detalhista da equipe. Talvez seja a influência dos seis anos de serviço militar que o rapaz prestou antes de entrar na imobiliária. Ele, que também é técnico em informática, costuma socorrer os colegas com frequência quando alguma dúvida de “ordem tecnológica” surge.

 

 
Em comum, o trio diz ter o prazer de trabalhar em uma empresa transparente e que valoriza as relações interpessoais:
 
– Aqui é pelo justo. Não existe o cliente estar sempre com razão. Vale o contrato, seja para o inquilino, para o proprietário ou para a imobiliária. Trabalha-se com honestidade e transparência, sempre! – pontua Márcio.
 
Histórias Taperinha Vistoriadores 01
 
Texto: Pâmela Rubin Matge
Fotos: Juliano Mendes