Se você está na fase pré-nupcial sabe o quanto aquele famoso ditado “quem casa quer casa” é verdadeiro, não é mesmo? Mas é claro que a conquista do próprio lar depende de muita organização financeira, o que só parece complicado. Seguindo algumas dicas, você pode ter o cantinho que sempre sonhou sem sacrifícios! Confira tudo neste artigo!

Pense onde você gostaria de morar

O primeiro passo da organização financeira para comprar um imóvel é pensar: onde você gostaria de morar? Analise possíveis bairros ou cidades e, claro, veja qual é a média de preço dos imóveis. O quanto antes você definir um local, melhor, isso te ajudará a ganhar tempo para juntar dinheiro e, como um todo, se organizar financeiramente.

As principais dicas de organização financeira

Depois de definir onde você quer morar, pesquise por imóveis que se encaixem na verba você pensou em investir. Nessa etapa, principalmente, considere a ajuda de uma imobiliária, pois ninguém entende melhor de casas e apartamentos do que os executivos de venda.

Bom, no momento em que você já tiver a ideia do bairro e do imóvel que deseja morar, é hora de colocar as dicas de organização financeira em prática. Dá só uma olhada nas nossas sugestões:

  • forma de pagamento: estude qual a melhor modalidade de pagamento (à vista ou a prazo) para o seu caso. Um tipo bastante comum é o financiamento imobiliário que, dependendo do caso, permite que você utilize o seu FGTS para pagar uma parte da dívida;
  • limite de prestações: caso você opte pelo pagamento parcelado, é extremamente importante verificar se as prestações não comprometerão a sua renda mensal. No caso do financiamento, por exemplo, o valor de cada parcela não deve ultrapassar 30% do seu salário;
  • imóveis seminovos: casas e apartamentos usados custam mais barato, vale muito a pena avaliar essas opções;
    plano de ação: utilize uma planilha ou aplicativos de celular para você se organizar. Não importa se você vai juntar dinheiro para pagar à vista ou dar a entrada no imóvel, o ideal é anotar todos os seus custos diários;
  • corte de gastos: quando você começa a registrar tudo o que gasta, fica mais fácil analisar se é possível fazer corte de gastos. Evitar sair ou pedir comida por, pelo menos, um fim de semana do mês já ajuda a poupar grana;
  • trabalho extra: se necessário, considere fazer algumas atividades extras para ganhar mais dinheiro, por exemplo, trabalhar em bares ou buffets de final de semana;
  • conta poupança: guarde todo o dinheiro em uma poupança, aliás, alguns bancos oferecem liquidez melhor;
  • gastos com documentação: não se esqueça que também é necessário considerar os gastos com documentação do imóvel.

Gostou das nossas dicas? Aproveite para conhecer os imóveis disponíveis no nosso site! Além disso, continue navegando aqui pelo blog, toda semana trazemos informações e dicas de ouro para você morar e viver bem!