Conheça a Eliza, a assessora de Locação com “olhos de Xenon” da Imobiliária

 
Histórias Taperinha Eliza assessora Locação 01– O primeiro imóvel que loquei na minha vida, mais ou menos dez anos atrás, foi pela Taperinha. Nunca mais esqueci do que pensei na hora: um dia vou trabalhar aqui.
 
E a força do pensamento de Eliza Finotti da Silva, 29 anos, deu mesmo certo. Positividade, sorte ou persistência? O fato é que hoje ela está exatamente onde queria estar. Junto de outras duas colegas, Eliza compõe o time das assessoras de locação da Imobiliária Taperinha.
 
Antes de março de 2012, data em que começou a trabalhar na imobiliária, a moça nascida em Santa Maria, mas com forte ligação com São Paulo – cidade onde mora a maioria dos familiares – trabalhou em outras empresas e concluiu dois cursos técnicos: um em Administração, e outro em Contabilidade. Duas também foram as vezes que Eliza chegou a morar em São Paulo, mas sempre acabava voltando.
 
Apesar do ar reservado, quando começa a falar, a assessora de Locação não para mais. Fala das vivências, do filho João Victor, de cinco anos, e do trabalho:
 
Histórias Taperinha Eliza assessora Locação 03– Quando fui contratada, pensei que eu não tivesse capacidade. Estava na sala das entrevistas e, quando levantei a mão para pedir licença e desistir da vaga, a Raquel pediu que eu falasse de mim. Naquele momento eu olhei pra ela e senti: tenho chances. E vim parar aqui. O pessoal é acessível, humano. Eles reconhecem e valorizam o funcionário. Na Taperinha eu aprendi que é preciso acreditar na gente – revela a assessora.
 
Há mais de três anos na função, Eliza, que é chamada carinhosamente pelas colegas de Cleópatra e olhos de Xenon, devido a cor azul dos olhos, já acumula um monte de histórias e acontecimentos pitorescos. Mas nada que a faça perder o foco e garantir a locação média de 18 imóveis ao mês. E não é só para clientes que vão à imobiliária. Atendimentos online ou por WhatsApp já renderam contratos fechados. O segredo, segundo ela, é estar bem informada, ter persistência e manter o sorriso no rosto:
 
– Eu posso até demorar um pouco mais, mas eu esgoto todas as possibilidades para atender à necessidade do cliente. Dou opções, procuro conhecer bem a localização e o que tem perto de cada imóvel. E cada cliente que senta em nossa frente é uma história, um desabafo. Já passamos por cada uma… Costumamos dizer que a locação é como o começo de um namoro, onde tudo começa. Então, atender de bom humor e com um sorriso no rosto faz toda diferença.
 
Histórias Taperinha Eliza assessora Locação 02
 
Texto: Pâmela Rubin Matge
Fotos: Juliano Mendes