Fazer um financiamento para compra de imóvel, ou seja, a linha de crédito que possibilita, a longo prazo, a tão sonhada casa própria, é algo que normalmente gera muitas dúvidas, além de envolver certa burocracia no processo.
Esses financiamentos são fornecidos pelos bancos, de modo que o comprador realiza o pagamento para a agência bancária em parcelas de até 420 meses, e a própria agência fica responsável por quitar a dívida com o vendedor do imóvel.

Porém, para que saia tudo nos conformes durante esse financiamento para compra de imóvel, é ideal seguir as dicas que a Raquel já comentou em vídeo e também ficar atento a estes 4 passos superimportantes: simulação, pesquisa, mediação e avaliação.

Passos do financiamento para compra de imóvel

1. Simular o financiamento

Antes de mais nada, é imprescindível fazer uma simulação com um correspondente imobiliário. Dessa forma, é possível verificar a capacidade de compra do interessado, que não pode ter restrições de crédito (SPC, Serasa e outros) e deve ter renda suficiente para fazer um financiamento, de forma que a prestação não comprometa mais do que 30% da renda mensal.

2. Encontrar um imóvel financiável

Depois da simulação, é hora de sair em busca de um imóvel* que se enquadre na linha de crédito, ou seja, aquele que está com toda a documentação regularizada. Portanto, a matrícula não deve possuir nenhuma pendência judicial ou fiscal e deve conter a averbação de toda a área construída registrada.

*Vale lembrar que estamos falando de imóveis prontos e por unidade. Financiar imóveis na planta ou comprar um prédio inteiro envolve requisições diferentes.

3. Buscar auxílio e mediação de uma imobiliária

O terceiro passo é buscar por uma imobiliária para intermediar o processo de financiamento para compra de imóvel. Afinal, é a empresa que possui os profissionais adequados para orientar toda burocracia que essa linha de crédito engloba.

4. Fazer a avaliação do imóvel

O banco definido para fazer o financiamento, por meio de uma empresa, contrata os serviços de um arquiteto ou engenheiro para fazer uma análise. Essa medida tem como finalidade confirmar o valor, além de saber se o imóvel pode ou não servir como objeto de garantia. Depois desse procedimento, é hora de realizar o cruzamento de dados no sistema e finalmente saber se o crédito do provável comprador será aprovado. Simultaneamente, com o objetivo de conferir se está tudo nos conformes, ocorre a análise do processo pelo banco. Se tudo estiver certinho, é feita a assinatura do contrato. Caso haja alguma irregularidade, alguns métodos devem ser revistos pelo representante do banco e a agência.


Quando falamos sobre a não aceitação do comprovante de renda, juntamente com os valores do 13º e férias, é porque esse contracheque distorce a veracidade dos dados. Além disso, informamos que esses documentos normalmente são solicitados por todos os bancos, inclusive pela Caixa, nossa parceira aqui na Taperinha.


Financiamento é um tema que sempre rende muito! Então, se você ficou com algum dúvida, é só deixar seu comentário ou enviar sua pergunta para eagoraraquel@taperinha.com.br. Vamos adorar a sua participação!