Mudança nunca é fácil, mas não há nada melhor que se mudar ao lado de quem amamos. É claro que a melhor parte disso tudo é poder decorar a casa e deixar tudo, refletindo a personalidade do casal. Para começar, o importante é definir o orçamento para a decoração, que deve considerar também se o imóvel é alugado ou próprio, pois não vale investir tanto em algo que pertence a outros.

Na hora de distribuir o orçamento, vale dividir a grana por peças (ou cômodos, como preferir), assim é fácil visualizar a decoração possível para cada ambiente. Como estamos falando das opiniões e gostos de duas pessoas, ceder é regra de ouro. Se um dos dois quer gastar mais na sala, no ‘recanto do guerreiro’, e o outro prefere investir no quarto, o consenso é o que vai decidir as compras de decoração.

Ceder também envolvem aqueles objetos da vida de solteiro trazidos pelo casal, como mobília, quadros e artigos eletrônicos. Imagina se cada um trouxer seus vários cacarecos? Pode ser necessário avaliar quais objetos são importantes na nova casa, como quadros que combinem com a decoração ou tragam o clima desejado para o lar, como um criado-mudo rústico herdado dos avós ou uma poltrona confortável que tem tudo a ver com a sala.

No meio de tudo isso o fundamental é cooperar, trabalhar em equipe é o diferencial entre ter ou não ter um lar aconchegante e pessoal. Durante o processo, um provavelmente vai se destacar, até pelo próprio interesse em decoração, mas é imprescindível sempre ouvir a opinião do outro, pois sempre há algo a ser acrescentado. Visões diferentes, mas em harmonia, produzem resultados muito positivos quando o assunto é decorar a casa.