Histórias Taperinha Veridiana Recepcionista 03
 

Pela segunda vez, a recepcionista voltou a integrar o quadro de colaboradores da Imobiliária Taperinha

 
Sabe aquela máxima que diz: “o bom filho a casa torna”? Para a recepcionista da Imobiliária Taperinha Veridiana da Silva de Oliveira, 32 anos, a frase é certeira. Uma, porque ela incorporou a tal filosofia da Família Taperinha e se sente, de fato, uma filha, mais uma integrante da família. Outra, porque ela retornou. Saiu e voltou cinco anos depois para a mesma empresa. Segundo a recepcionista, não foi por mera necessidade, mas por admiração e pela certeza de estar de novo no melhor lugar por onde já passou:
 
Histórias Taperinha Veridiana Recepcionista 01– A gente, que sai, consegue notar a diferença. E a Taperinha é completamente diferente em tudo. O clima, a estrutura, os colegas. Quando saí, me falaram que as portas ficariam abertas, mas até isso acontecer de fato e ser uma realidade não acreditei. Quando voltei, em julho deste ano, fiquei surpresa pelo acolhimento, pelo coleguismo e do quanto a empresa valoriza o lado humano. As mudanças que senti foram na organização, na melhoria do site e dos cadastros.  Mas voltei sem dificuldades para me adaptar e parece que eu sempre fiz parte daqui. Alguns clientes até chegam e perguntam: mas tu já era daqui, né?
 
Nascida e criada em Santa Maria, como ela faz questão de enfatizar, Veridiana teve suas primeiras experiências de trabalho em duas papelarias da cidade. Assim que terminou o Ensino Médio, fez o curso técnico em Informática. Contudo, ela considera como seu primeiro vínculo profissional e formal a Taperinha, onde começou a trabalhar em janeiro de 2008 e ficou até agosto de 2010. Após a saída e quase cinco anos em outra empresa, três semestres em um curso de Administração no qual não se adaptou e a saída da casa do pai, ela retornou à imobiliária em julho deste ano. Foram muitas mudanças, idas e vindas. Todas para que se sentisse mais independente e fizesse o que realmente gosta. Atualmente, a recepcionista está cursando Direito pela Faculdade Palotina (Fapas).
 
No novo curso, se sente realizada. De acordo com a recepcionista, em tudo o que faz, seja nas relações pessoais, nos estudos ou no trabalho, é preciso ter envolvimento, honestidade e fazer a diferença.
 
– Não gosto das coisas superficiais, preciso me envolver. Com o Direito foi assim já no primeiro semestre: senti meu coração pulsar. Com os amigos também é assim. Aqui na Taperinha é igual. Não há concorrência desleal e nem melindres. Sou sincera com as pessoas e visto a camiseta. Quero ser comprometida e não ser só mais uma – declara Veridiana, transbordando intensidade sem perder o jeitinho manso de falar.
 
Histórias Taperinha Veridiana Recepcionista 02
 
Texto: Pâmela Rubin Matge
Fotos: Juliano Mendes