Dizem, há muito tempo, que os animais são os melhores amigos do homem, o que é cada vez mais comprovado e afirmado pelos amantes dos bichos de estimação. Eles, de fato, tornam-se integrantes da família. No entanto, caso essa família viva com animais em condomínio, pode ser que reclamações sobre barulho, mau cheiro e até mesmo de insegurança sejam frequentes, embora a Constituição Brasileira assegure o direito dos moradores terem animais em condomínio, seja cachorro, gato, coelho, periquito, papagaio – independente de raça ou porte.

Animais em condomínio

A principal regra para evitar qualquer problema, assim como em todos assuntos envolvendo condomínio, é o bom-senso e a educação. Mas, caso essas medidas não funcionem, existem algumas regras básicas pra promover uma boa convivência entre vizinhos e animais de estimação que compartilhem o endereço.

Segurança

A presença do animal, independente do local do condomínio, não pode comprometer a segurança da vizinhança. Então, a fim de evitar possíveis problemas, o ideal é sempre passear com o bichinho usando guia e coleira, além de tomar cuidado com a aproximação de crianças, pois, caso aconteça algum tipo de acidente envolvendo o animal, uma convocação para a retirada dele por ser solicitada pelos demais condôminos.

Higiene 

O mau cheiro e a falta de higiene pode ser uma das maiores reclamações dos demais moradores. Por isso, durante o passeio, é imprescindível que os donos sempre levem uma sacolinha plástica pra recolher possíveis dejetos, além de manterem a carteira de vacinação de seus animais sempre em dia. Afinal, uns bichinhos podem pegar ou transmitir doenças pra outros por causa da falta desses simples cuidados.

Sossego 

É direito de cada morador ter seu sossego garantido. A regra pode ser relacionada à lei do silêncio e, quando o animal passa a perturbar frequentemente, o dono poderá receber uma notificação. Caso o problema do barulho não seja resolvido, uma multa pode ser aplicada ao responsável pelo animal.

Diferentes condomínios, diferentes condições

É superimportante salientar que tudo deve estar descrito na convenção de cada condomínio, pois deixar essas dicas e regras claras a moradores e visitantes é o primeiro passo pra boa convivência. Ainda assim, há condomínios que podem inserir novas condições dentro da sua convenção, como, por exemplo:

  • Exigir a documentação e cadastramento do animal pra conferir a carteira de vacinação;
  • Definir o uso apenas do elevador de serviços quando os donos estiverem com os bichinhos;
  • Proibir a circulação em áreas comuns, como parquinhos e garagem;
  • Limitar o número de animais por apartamento.

As regras também são aplicadas aos animais que morem em casas, pois, nessas situações, embora não exista um regulamento que preze pela boa convivência, o bichinho não pode oferecer riscos à segurança, saúde ou sossego dos vizinhos. Caso isso ocorra com quem vive em casas, é possível recorrer à polícia ou a justiça ou, nos casos de quem mora e tem animais em condomínio, o ideal é recorrer ao síndico. Contudo, nada disso pode ser efetivo se não existirem provas. Por isso, fotos e vídeos podem ser registrados pra revelarem o caso.

Já teve problemas com seu pet no condomínio? É interessante que você sempre leia a convenção e esteja por dentro do que é permitido ou não dentro do seu condomínio, certo? Qualquer dúvida, entre em contato com a gente pelo e-mail taperinha@taperinha.com.brpelas nossas redes sociais ou comente aqui no blog que a gente esclarece tudo pra você!

Animais em condomínio